Arquivo para junho \30\UTC 2008

30
jun
08

O início de semana

Boa-tarde, outrapauteanos!

Hoje, toda a equipe ALT e Outra Pauta participaram da oficina realizada pelo nosso querido Sr. Prof. Dr. Silvio Demétrio. Assistimos o documentário “The Rebels”, algo tão obscuro, que no momento, não sei falar qual é o produtor – dizem que é francês(:D). Uma narrativa audio-visual da relação do romantismo (boheme) francês com toda o conceito de rebeldia (boemia) que se ramifica nos dias atuais. Porém vou ficar devendo para vocês o vídeo, porque assistimos em VHs (:O) e não achei no youtube.

Mas para não deixar vocês sem uma boa referência visual para este post….recorremos aos simpsons (sempre). Quanto tempo vocês acham que é necessário para desenhar o Homer Simpson?

(esse video lembra as sextas-feiras aqui na redação, no fechamento dos cadernos)

Até.

28
jun
08

Depois de amanhã…

Bom-dia, fervorosos leitores!

A 12ª edição do Outra Pauta já está fechada…deve até estar rodando nas prensas aqui da Gazeta do Paraná.

Vou adiantar para vocês que o assuntoé algo muito delicado, complexo, violento, instável……o tema central é: (Tã tã tã tã) Mulheres.

Portanto, todos aí de plantão não percam, na segunda feira nas bancas.

Agora, nossos esforços estão voltados para fechar o caderno Retranca que sai amanhã (ish :B ) . Lembrando que é sobre o Centenário de Nascimento de Guimarães Rosa.

Um abraço pra galera que ficou a semana com agente aqui no blog, vou nessa que (as ilustrações d) o sertão me espera(m).

té.

26
jun
08

“A herança de uma noite” (Ariel Tavares*)

O vento frio da madrugada entra pelos seus cabelos, uma sensação de abandono toma seu corpo, o cheiro de terra úmida, fresca chega até ela, meu Deus o que farei agora? Pensava diante do berço do filho, que dormia tranqüilo.

Seu corpo cansado mostrava fragmentos do tempo, da solidão… Sentia sua ausência e olhava para o filho com pesar e dor.

Ela queria encontrar pilastras para sustentar as ruínas que carregava, porém não iria encontrar essa resistência em Thiago, seu único filho. Afinal ele só tinha seis anos. Não possuía a dureza e a robustez da argamassa. Ele era ainda a planta de uma grande construção, sujeita a alterações, a reformas, adições de medidas ou o recorte delas. Sofia chorou.

Sofia chorou copiosamente, sentia as lágrimas escorrerem pelos seus olhos turvos, não conseguia respirar, sentia-se desesperada, só sabia que continuaria assim por muito tempo… Olhou para Thiago e percebeu que não podia mais criá-lo, olhava para ele e via o rosto do pai, aquela vidinha frágil fazia com que ela permanecesse viva…

Thiago tinha uma tez suave, traços angelicais, corpo esguio. Os olhos cheios de lágrimas embaçaram a imagem, mas para ela o filho era perfeito, sem qualquer erro, pura exatidão. Uma exatidão que surgiu do acaso. Thiago viera de uma camisinha furada em uma noite sem importância de agosto.

Quando confirmou o resultado com um desses testes baratos, falou para Lucas. O futuro pai ainda duvidou. “É meu mesmo?”. Sofia tinha perdido a virgindade com aquele idiota. Casaram de papel passado, mas as alianças os uniram até aquela madrugada.

Ela não tinha muitos sonhos. Não tinha ambição. Contentava-se com aquilo que Lucas lhe trazia. Uma panela nova, brinquedos para a criança, algumas roupas para ela, entretanto, os presentes foram sumindo. A rotina fora substituída. Agora, ele agradava outras por aí… Sofia sabia daquela situação, mas calava a todo instante. Cegava os olhos e acreditava que tudo era uma fase. Todo casal tem as suas. Superariam logo.

Lucas chegava ainda mais tarde. Às vezes bêbado, outras fedendo mulher, o pior era quando não chegava. Sofia tentava o dialogo. Conversavam sobre o futuro, sobre o futuro de Thiago, discutiam. O final era sempre tenso! Não existia o confronto físico. Lucas não era dessas coisas. Mas sempre dizia que iria sumir… Ir para longe, não importasse onde, mas iria. Até que foi.

Sofia, que já se sentia sozinha, ficou só com Thiago, e o menino tinha o azar de ser a cara do pai. Tocou de leve a cabeça do filho e lembrou dos afagos, dos poucos afagos que sentiu, aqueles que lhe deram algum prazer substancial. Observou as mãos, eram as mãos do Lucas trabalhador.

A mãe imaginou um futuro brilhante. Teria um bom trabalho, seria digno, honrado, por mais que esse último esteja em falta ultimamente. Seria um amigo fiel, um bom brincalhão, sério, quando necessário. Casaria e teria uma mulher parecida com ela, linda de tirar o fôlego. Pensou nos netos, todos carregariam a herança de Lucas. O mesmo rosto, as mesmas mãos e quem sabe o mesmo caráter. Era melhor não arriscar!

Fez uma oração. Agradeceu a Deus pelas coisas boas de sua vida, xingou Ele e todos que moravam em seu reino, pois seria cruel. Algo que nunca foi. Ao final da reza, pediu perdão…

Foi até um armário e pegou um travesseiro grosso. Iria dormir ao lado do filho. Levemente Sofia colocou o travesseiro sobre a criança. Como era doce o seu sono… Comprimiu! Thiago despertou num susto. Chamou pelo pai. Chamou pela mãe. Chamou o tio Jair. Chamou o vô Antônio. Chamou o anjo da guarda. E por fim chamou Jesus. Ninguém veio…

Naquele instante, Sofia se acalmou… Sentiu uma leve paz…

Ela foi até o varal e retirou um dos fios. Era o último ato fúnebre daquela noite…

…………………………………………………………………

* Ariel Tavares é jornalista, formada em Letras e pós-graduanda em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira pela União Pan Americana de Ensino (Unipan)
ariel@certto.com.br

26
jun
08

A mais nova edição para download! \o/

Boa-tarde, outrapauteanos!

A décima edição do Outra Pauta está online! Como também as anteriores, você pode baixar em PDF a edição que tratou principalmente do assunto: Trãnsito de Cascavel. É só clicar ali em baixo do cabeçalho em: Edições em PDF. Se você não consiguiu pegar a edição nas bancas, você pode, mesmo assim, manter sua leitura em dia.
E respondendo o comennt do Tiago, esperamos contribuir um pouco sobre a continuidade do curso de jornalismo com qualidade, aqui em Cascavel.
E Vaninha, então está acertado, esperamos sua presença contínua aqui no blog. Abraço pra vocês.

25
jun
08

Outra Pauta na Unipar

Hoje vou estar hoje na Unipar em Cascavel apresentando e discutindo coisas como as possíveis pontes e rizomas entre jornalismo e literatura assim como os projetos do Outra Pauta e do caderno Retranca . A palestra começa às 19:15h na sala 81 (no segundo andar do prédio onde funciona o curso de jornalismo). Também vou abordar outros temas afins como o new journalism, jornalismo literário. Acho que rola um cafezinho no intervalo. Lester Bangs e Hunter Thompson vão estar presentes em espírito (rs)!

25
jun
08

Propaganda de conteúdo

Boa-tarde, outrapauteanos!

Sim, nós temos uma propaganda! Mas não é uma simples e mera propaganda, é uma propaganda semiótica, sim, com figuras de linguagem, conteúdo, suco de groselha e de limão! 😀

Simples e bicolor!

E não vamos parar por aí, não! Esse vídeo vai pra CGN, para a TV Terra e… aguardem!

Até

24
jun
08

Domingo do Sertão

Neste domingo, 29/06, sai o caderno Retranca. Sim, mais um! (\o/).

Desta vez o tema é o aniversário de nascimento do grande neologista do Sertão: Guimarães Rosa.

Você vai ler uma análise aprofundada sob enfoques da biografia e obras, é claro, com repercussão em fatos que atingem nossa região.

A pesquisa é da historiadora Adriana Hartmann e os textos são do (já conhecido aqui, editor do Outra Pauta) Prof. Dr. Silvio Demétrio. E, mais uma iniciativa da Gazeta do Paraná. Neste Domingo nas bancas.