09
set
08

Direito adquirido

Bom-dia, pessoal!

Gostaríamos de, primeiramente, convocar os visitantes silenciosos do blog para que se manifestem, temos muitas visitas por dia e poucos comentários, e nossa curiosidade pergunta: Quem são vocês??

Ontem tivemos mais uma reunião de pauta, fizemos uma avaliação do caderno do dia e dos textos para o próximo. Aliás, fica um alerta para todos os cidadãos comuns da cidade: sabe aquela sensação que às vezes se tem de estar sendo observado? espiado? seguido? Por esses dias pode bem ser verdade. Faz parte da sorrateira próxima edição…

Andando por aí encontrei uma declaração feita pelo Mário de Andrade, 1942, em uma conferência. Ele faz um”balanço” dos erros e acertos da semana de 22. Entre as coisas boa que ficaram ele destaca:

“O direito permanente de pesquisa e criação estética”

Ora, tanto tempo depois da declaração desse direito aos que fazem literatura, porque não estender o direito aos que fazem o Jornalismo Cotidiano? Nosso Jornalismo diário precisa ter espaço para textos que saiam das formas e valorizam a forma e seu poder de significação. Não só de conteúdo se faz o sentido.

E pra terminar, fica aqui uma dica útil: sabe quando você está trabalhando em um computador sem ter um dicionário por perto? Tem um bom dicionário on-line no site da Priberam

Até logo!

Anúncios

7 Responses to “Direito adquirido”


  1. 1 Bruna Hissae
    9, setembro 2008 às 11:06 am

    Oie, eu sou a Bruna e hoje estou comentando no blog!!
    Faça você também a sua parte!
    Comente!!!

  2. 2 Bruna Hissae
    9, setembro 2008 às 3:36 pm

    Mari… me diz aí, quantas pessoas visitam o blog?

  3. 3 Mariana
    9, setembro 2008 às 4:18 pm

    Já chegamos a 200 calados num só dia! mas a média fica um pouco abaixo disso…

  4. 4 Juliana Tokarski
    9, setembro 2008 às 6:55 pm

    iaushdiuhaishi..

    quantos que não tem dedos pra digitar algo hein? meeeeeeeeeee… asuihaihsdiuahsidhai..

    é isso aí, vamos comentar… 😀

    beijo!!

  5. 5 Diego Krüger
    9, setembro 2008 às 7:57 pm

    Eu nem sei quem sou. Talvez um transeunte interneteano sem destino. Talvez um andarilho observando as aventuras dos outros, ou um contador de outras histórias. Nem fui nem vou. Nem sou às vezes. Enquanto isso me chamam de Diego.

  6. 6 Juliana Tokarski
    10, setembro 2008 às 7:04 pm

    Nossa, e o Diego escreve hein???? aiushiuahuisaah ^^

    Eu já sou alguém que se perdeu de uma nave espacial e caiu na terra.. =/

    aisuhaishaiusuaiuhasiu

  7. 7 roberson
    12, setembro 2008 às 1:29 am

    Pai?!.. Pq o sr tá cavando esse buraco no quintal?
    Vai pra lá moleque..
    Porque pai??!.
    já disse, não vou falar..
    Há pai,,fala
    já disse: Não digo,não digo e não digo.Agora vai pra lá e me deixa ..
    Tá bom então,,se ao menos o buraco fosse redondo..

    Ué? o que que tem o buraco ser redondo.
    O menino com um sorrisão:- Não digo, não digo e não digo..

    (e se a piada fô ruim de mais me poupe dos comentarios )
    Obrigado.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: